Confraria Floydstock

Música é assunto para a vida toda

PUBLICIDADE

Review: "In the Raw" – Tarja (also in english)

Trilhar um caminho, seguir em frente, respeitando a sua essência.

É o que podemos perceber ouvindo este lançamento último de Tarja Turunen, a soprano mais famosa do metal.

Tarja vive hoje um gradativo galgar maturacional de seu symphonic metal, estilo que a projetara e a consagrara desde o Nightwish.

Veja também:

O o seu oitavo álbum solo de estúdio, “In the Raw“, que chegara na sexta-feira última (30/08) traz a cantora provida de enorme segurança no próprio talento, um disco sólido, daquele que nota-se que fora feito por artista que realmente sabe o que faz e o mais relevante: sabe onde está a sua carreira e para onde quer seguir.

Mérito também para seus musicistas de primeiro gabarito que novamente a acompanharam neste álbum e deverão fazê-lo ao vivo, a exceção será o baixista Kevin Chown, que deixara a banda para se juntar ao Skid Row.

In the Raw” é mais ou menos assim:

Começa ótimo com as duas canções “Dead Promises” (a primeira a ser lançada como single) e “Goodbye Stranger”, que contam com as participações especiais  Björn “Speed” Strid e Cristina Scabbia, respectivamente dividindo os microfones com Tarja.

Tem o seu miolo mantendo-se num bom nível, incluindo nele as canções “Tears In Rain” e “Railroads“, ambas previamente divulgadas, e “You And I“, uma canção lenta, com destaque para voz e piano.

Daí pra frente começa o tempo excelente do trabalho, a começar pela embebida no erudito, “The Golden Chamber: Awaken/Loputon Yö/Alchemy“, “Spirits Of The Sea“, que contara com a participação do percussionista brasileiro Carlinhos Brown, “Silent Masquerade” (com a participação vocal de Tommy Karevik), esta, a melhor do disco na opinião deste que vos escreve, a ótima “Selene” e fechando solenemente com a excelente, sinfônica e coralística “Shadow Play”.

Você pode gostar:

Enfim, “In the Raw” tem um peso moderado e não decepciona o fã de Tarja, tampouco o de symphonic metal, especialmente em sua segunda metade e mais ainda naquelas que considero as três melhores canções do disco: “The Golden Chamber: Awaken / Loputon Yö / Alchemy“, “Silent Masquerade” e “Shadow Play”.

Agora é esperar para vê-las ao vivo.

Ouça via Spotify no Player abaixo:

Ouça “Railroads”, canção do novo álbum da Tarja, inspirada em obra de Paulo Coelho:

Tracklist:

  • 01. Dead Promises (with Björn “Speed” Strid)
  • 02. Goodbye Stranger (with Cristina Scabbia)
  • 03. Tears In Rain
  • 04. Railroads
  • 05. You And I
  • 06. The Golden Chamber: Awaken / Loputon Yö / Alchemy
  • 07. Spirits Of The Sea
  • 08. Silent Masquerade (with Tommy Karevik)
  • 09. Serene
  • 10. Shadow Play

Review: “In the Raw” – Tarja

To walk a path, move on, respecting its essence.

That’s what we can hear from this latest release from Tarja Turunen, the most famous soprano of metal.

Tarja lives today a gradual mature climb of her symphonic metal, a style that had projected and consecrated her since Nightwish.

Her eighth studio solo album, “In the Raw“, which arrived last Friday (Aug. 30) brings the singer provided with tremendous confidence in her own talent, a solid record, from which one can note that have been made by an artist who really knows what is doing and most importantly: she knows where her career is and where she wants to go.

The merit belongs also to her first-rate musicians who accompanied her again on this album and are expected to do it live. The exception will be bassist Kevin Chown, who had left the band to join Skid Row.

In the Raw” goes something like this:

It starts off great with the two songs “Dead Promises” (the first to be released as a single) and “Goodbye Stranger“, which feature guest appearances Björn “Speed” Strid and Cristina Scabbia, respectively sharing the microphones with Tarja.

It has its core remaining at a good level, including the previously released songs “Tears In Rain” and “Railroads“, and “You And I“, a slow song, featuring voice and piano.

From then on the excellent tempo of the work begins, starting with the classical-soaked, “The Golden Chamber: Awaken / Loputon Yö / Alchemy“, “Spirits Of The Sea“, which has the participation of Brazilian percussionist Carlinhos Brown, “Silent Masquerade” (with the vocal participation of Tommy Karevik), this one, the best of the album in the opinion of this reviewer, the great “Selene” and closing solemnly with the excellent, symphonic and choristic  “Shadow Play“.

Anyway, “In the Raw” has a moderate weight and does not disappoint the Tarja fan, nor the symphonic metal fan, especially in its second half and even more in what I consider the three best songs on the album: “The Golden Chamber: Awaken / Loputon Yö / Alchemy“,”Silent Masquerade” and “Shadow Play“.

Now let´s wait to see them perform live.

Review: "In the Raw" - Tarja (also in english)

PUBLICIDADE

Assuntos
Compartilhe

Comentários...

2 comentários em “Review: "In the Raw" – Tarja (also in english)”

Deixe uma resposta

Veja também...

PUBLICIDADE